quinta-feira, maio 19, 2005




Tocar de lábios,
roçar de linguas mornas:
soma de salivas doces, acender de hormônios,


ápice de êxtases.


Tatear de pêlos eriçados:
sonhar o sonho de meses e luas cheias,


a esperança do encontro e o tremor

no encontro.

Algo se move em nós,
e sentimos arder no peito
a chama indescritível.

No ventre, em baixo, arde feito calda

alguma coisa boa
e nos damos de nós por inteiro.

(Luiz Aquino)


1 Comentários:

Anonymous Kilas, "O Mau da Fita" disse...

bué da naice!

4:36 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial