quarta-feira, julho 20, 2005

Para a minha alma eu queria uma torre como esta,
assim alta,
assim de névoa acompanhando o rio.
Estou tão longe da margemque as pessoas passam
e as luzes se reflectem na água.
E, contudo, a margem não pertence ao rio
nem o rio está em mim como a torre estaria
se eu a soubesse ter...
uma luz desce o rio,
gente passa e não sabe
que eu quero uma torre tão alta que as aves
[não passem,
as nuvens não passem,
tão alta tão alta
que a solidão possa tornar-se humana.
O Poeta e a Cidade
(Eugénio de Andrade)

2 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Olá
Adorei este teu blogue.
É lindo!
Continua por favor.
Beijos

4:59 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

gostei muito do teu blog. tens imagens e tpoemas lindissimos.
adorei
Parabens e muitos beijinhos
(valkiria-na-bruma.blogs.sapo.pt

2:36 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial