quinta-feira, setembro 29, 2005



Está no sangue dos homens!
Uma vez diz-se
A segunda brinca-se
A terceira é abuso se não houver reciprocidade
Mas por vezes é bom um "amante"
Sem ser muito babado claro
Faz bem ao ego!
Pois também conta
Não se deve pensar quando se pensa em pensar antes
Passa a oportonidade
Tem que provocar algum neurónio
Um destes dias jogas um xadrez e faz-te bem
Junto a uma lareira e com vista para o mar
Quando há distância e distâncias
Todas as pessoas sensíveis ficam amarguradas
Por isso revelas um pouco a tua amargura por vezes
Precisas de algo onde ir buscar força
Vais fazendo o que podes
Mas não queres ser mais forte
Apenas viver mais e sobreviver menos
Dizes ter vivido tudo junto
Mas sentes que apenas sobreviveste
Atiras-te de cabeça e com cabeça vives aproveitas...
Fazes uma "dita"loucura sem arrependimentos
Sem culpas
É disso que é feita a vida.
É fácil se houver interesses iguais e afinidades
Claro que há outro aspecto, o das culpas e educação de repressão e deveres, mas
Isso é para ser encarado com frieza e racionalidade no momento se acontecer
Viver uma aventura uma paixão
Ainda que não dure ou resulte saberás que tiveste e tentaste
Na hora de assumires e sempre dirás
Nada significou
Foi uma fraqueza
Não passou de um beijo
Está no sangue das mulheres!
(João António Fernandes Alves, 2004 da Bamos)

1 Comentários:

Anonymous Filipe Duarte disse...

Parabens pelo teu blog.

10:29 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial